terça-feira, 20 de julho de 2010

#Medos

Postado por Chayanne Gonçalves às 02:38
Esse medo vem e me arrasa, deixo passar muitas chances, perco momentos preciosos que nunca mais voltarão. A busca pode ter acabado, mas a sensação de perda é maior do que tudo. Começo a perder antes mesmo de ter ganho o que tanto sonhei, pois por mais que o desejo me impulsione para adiante o medo me faz recuar e um eterno querer e um pra sempre recusar é achar que ser feliz nunca será para mim. É como um sina maldita, a de eternamente chorar, medo quem não tem? ;) Eu tenho medo de não conseguir mais escrever ou me emocionar ao ler, de não sentir ao fazer, de querer e não ter, eu tenho medo de morrer sem ao menos viver, de ser e não querer, de falar e não fazer, de fazer e me arrepender, de amar e não poder, de ter e perder. Mas nada me fez parar, nada me impediu de continuar, talvez as ilusões sejam mais fortes que os medos, talvez o medo venha das ilusões, talvez eu não tenha mais medo, não se sente mais quando não se tem nada a perder ele torna-se só mais uma sensação como o frio e o calor o meu arco irís sem cor. Ter medo é normal... Viver no medo não...

Liberdade é pouco. O que eu desejo ainda não tem nome.
CL

1 comentários:

Bruu on 20 de julho de 2010 22:13 disse...

Liberdade é pouco. O que eu desejo ainda não tem nome. ²

 

Chayanne Copyright © 2012 Design by Antonia Sundrani Vinte e poucos